« Voltar

Dr. Caio Athayde responde dúvidas sobre o umidificador

  • Dia 5 de Março de 2018

O uso de umidificador pode ser muito útil para ajudar nas crises respiratórias nesta época de inverno, na qual enfrentamos o frio e a seca. Porém, dependendo da forma como é utilizado, pode causar consequências desagradáveis. Os umidificadores aumentam a umidade do ar, situação que pode ampliar o contato com a poeira doméstica, que serve de alimento para os ácaros.  Além disso, grandes quantidades de vapor suspensas no ar umedecem as paredes e cortinas, possibilitando o surgimento de fungos, por exemplo.

Existem muitas dúvidas sobre a melhor utilização do umidificador. O médico otorrino do CEOL, Dr. Caio Athayde, esclarece algumas questões frequentes sobre esse assunto. Confira:

Por que utilizar?

Dr. Caio Athayde: Para termos uma boa respiração, o ar inalado deve chegar quente e úmido aos pulmões, e o nariz é o principal encarregado disso. Porém, quando o clima está muito seco, podemos ter dificuldade de respirar. Para melhorar isso podemos usar o umidificador de ar, que mantém uma umidade mais adequada ao nosso organismo.

Quando utilizar?

Dr. Caio Athayde: Toda vez que a umidade do ar estiver baixa. Na nossa região, este período se estende aproximadamente de abril a setembro.

Qual é o jeito certo de utilizar o umidificador?

Dr. Caio Athayde: O objetivo de utilizar o umidificador é promover uma respiração mais agradável e com menor risco de problemas infecciosos. As dicas de que não podemos esquecer são: não ligar o aparelho na máxima potência, a não ser por alguns minutos; não direcionar o jato para o rosto ou para a cama; manter alguma ventilação no ambiente em que se encontra o aparelho; se possível, reduzir a potência do aparelho durante a noite ou mesmo desligá-lo; fazer limpeza frequente do umidificador.

Quem pode usar?

Dr. Caio Athayde: Existem pessoas que não podem entrar em contato com o vapor dissipado pelo umidificador, pois podem ter seus problemas alérgicos potencializados. Seguindo as recomendações, todos podem utilizar, pois será alcançada uma umidade do ar satisfatória para ajudar na respiração, mesmo para as pessoas mais sensíveis.

Os pacientes que respondem mal ao umidificador podem fazer o quê?

Dr. Caio Athayde: As opções antigas de usar uma bacia com água e estender uma toalha limpa molhada próximo da cama são boas alternativas; são mais baratas, mas também um pouco menos eficientes.

É preferível umidificador, balde ou toalha molhada?

Dr. Caio Athayde: Quando seguidas todas as orientações, o umidificador apresenta a maior e a melhor opção, pois pode ser regulado e alguns inclusive, programados. A toalha molhada deve estar limpa e permite maior evaporação d’água que o balde. Estas últimas são opções praticamente sem custos e devem ser utilizadas sem restrições.

O umidificador ameniza os sintomas da alergia, mas, caso seja frequente, a melhor opção é marcar uma consulta com um médico especialista do CEOL para realizar o diagnóstico correto e o tratamento adequado.