« Voltar

Polissonografia Domiciliar: o exame do sono sem sair de casa

  • Dia 26 de Abril de 2018
A modalidade do exame é vantajosa para aqueles que demonstram dificuldades ao dormir fora de casa ou não querem abrir mão do conforto do seu lar na hora do descanso

A polissonografia domiciliar é o exame que investiga suspeitas clínicas de distúrbios do sono em domicílio. O exame é o mesmo realizado no laboratório do sono, com a montagem de todos os componentes de forma completa, e permite que o paciente durma em seu ambiente de costume, dentro da comodidade e conforto do seu lar.

Para a realização da polissonografia domiciliar, um técnico especializado realiza a montagem do equipamento de polissonígrafo tradicional no quarto do paciente, deixando-o funcionar a noite toda e retornando na manhã seguinte para recolhê-lo. O diferencial entre o procedimento domiciliar e do laboratório do sono é justamente a ausência do técnico durante a noite.

“Trata-se de uma alternativa ao exame laboratorial para o paciente com suspeita de Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) que não tenha doenças importantes associadas, bem como quando ocorre dificuldade à locomoção e não é possível se deslocar até o laboratório, além da fobia para dormir em local estranho que muitos pacientes não conseguem superar”, explica o Dr. Paulo Marsiglio, da Clínica CEOL Otorrino. Também é bastante indicada no acompanhamento da eficácia de tratamento dos pacientes com SAOS e que fazem uso de aparelho intra-oral, em pós-operatório tardio de cirurgias nasais e palatais, e após o tratamento para perda de peso.

As vantagens

Não ter a sua rotina de sono modificada é uma das principais vantagens da polissonografia domiciliar, por meio dela o horário de início e término do exame é mais próximo do habitual do paciente, possibilitando um início e consolidação do sono de modo mais natural.

Além disso, é vantajoso para aqueles que demonstram dificuldades para dormir fora de casa por fatores que podem vir a prejudicar a qualidade do sono e o resultado do exame, como:

  • Estranhamento do local;
  • Ansiedade;
  • Intolerância a ruídos;
  • Intolerância ao calor/frio;
  • Problemas de adaptação ao colchão e travesseiros;
  • Etc..

Contra-indicações

Nos casos de pacientes portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (moderada/severa), Insuficiência Cardíaca Congestiva, Doenças Neuromusculares e Doenças Psiquiátricas, a Polissonografia Domiciliar é contra-indicada.

Também não é o método mais adequado na suspeita de Narcolepsia, Insônia e Parassonias.

Nos casos citados, o mais adequado é o exame definitivo em laboratório do sono, onde acontece o monitoramento contínuo do paciente pelo técnico em polissonografia durante toda noite.

Na CEOL Otorrino os especialistas indicam a melhor modalidade de Polissonografia (Domiciliar ou Laboratorial) para cada perfil de paciente.

Tenha um sono de qualidade. Agende sua consulta.